Compartilhe
Ir em baixo
avatar
Admin
Mensagens : 22
Data de inscrição : 31/10/2017
Idade : 43
Localização : vitória de santo antão - Pernambuco
Ver perfil do usuáriohttp://tieduc.forumeiros.com

BOAS VINDAS

em Sex Set 14, 2018 10:29 pm
Olá pessoal sejam bem vindos (as) a mais um espaço de aprendizagem.
Aqui vamos realizar nossa segunda atividade. Vamos lá? Bons estudos.



A ATIVIDADE É A SEGUINTE:

Clique aqui para ver o sobre projetos interdisciplinares e comente:

1-Você acredita que os projetos interdisciplinares no ensino superior podem se tornar uma saída para a indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão? De que forma? Comente com seus colegas.

Bons estudos.
José
Mensagens : 1
Data de inscrição : 21/09/2018
Idade : 37
Localização : Caruaru - PE
Ver perfil do usuário

Você acredita que os projetos interdisciplinares no ensino superior podem se tornar uma saída para a indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão?

em Sex Set 21, 2018 9:57 am
Você acredita que os projetos interdisciplinares no ensino superior podem se tornar uma saída para a indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão?

E agora José???

Professor, eu acredito muito nessa relação Ensino + Pesquisa + Extensão, porém como o próprio vídeo mostra não há essa prática mas instituições (pelo menos na minha de onde vim “graduação” e na qual o de atuo hoje), ressalto que há o processo de pesquisa sim, mais muito frágil, um professor propondo ao seus dicentes a pesquisa (ainda vista como um trabalho acadêmico), depois de feito a pesquisa morre a questão, não é provocado o aluno a continuar sua pesquisa!
Estamos perdendo muito com isso, é estamos tendo uma efeito no comportamento educacional tanto nos dicentes como nos docentes sobre a prática em questão!

Um exemplo meu
Mesmo pequeno a intenção propôs aos dicentes que fossem as ruas fazer uma pesquisa/entrevista...
A ideia era pergunta que tipo de transportares a pessoa usa no seu dia a dia
Com isso fazer um levantamento de quais os 3 primeiros “estão acima” e os 3 últimos
Objetivo de obversar quais transportes se usa com frequência e se nossa cidade está apta para ter esse transporte!
O resultado seria repassado em forma relatoria para secretaria de Ingra estrutura e transporte PUblico, caso fosse a rede de transporte coletivo enviaria esse estudo para empresas em questão e por sim para autarquia de trânsito da cidade!

Infelizmente a pesquisa ficou apenas em
Entrevista social com 102 pessoas entrevistadas (entre 16 a 70 anos de idade)
e um debate em sala de aula.
Mesmo com o apoio os dicentes não queriam produzir mais
Alegando diversas situações...

Minha opinião que deveria ter uma ação efetiva para todos os cursos, como
Por exemplo o ESTÁGIO ele é uma ação por alguns cursos de forma obrigatória chegando a ter carga horária de 450h, poderia se pensar no projeto de pesquisa, extensão de forma obrigatória ou não obrigatória, mais com uma carga horária para o curso em questão!
Mensagens : 2
Data de inscrição : 17/09/2018
Ver perfil do usuário

Você acredita que os projetos interdisciplinares no ensino superior podem se tornar uma saída para a indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão?

em Seg Set 24, 2018 10:56 am
Como já comentei na sala de aula, tive a sorte de fazer a graduação numa IES que valorizava, pelo menos na época, não sei atualmente, o Ensino, a Pesquisa e a Extensão. Eu participava de tudo. Percebi durante os quatro anos de curso que os três pilares são fundamentais, um complementa o outro. Desde o primeiro período participei da inciação científica e publiquei artigos científicos em Eventos. Isso ajuda bastante porque as aulas não são suficientes, é preciso se aprofundar e a pesquisa, da forma correta, respeitando o método científico, faz com que você tenha um desempenho e resultado muito melhor na formação.

Relacionado ao primeiro questionamento no grupo, mas pelo fato de também ter relação com esse segundo questionamento: com relação a pesquisa, também na graduação, em vários períodos, como fiz Publicidade e Propaganda, meus professores sorteavam estudos de casos com as equipes. Lembro que fizemos um do refrigerante Pepsi. Pesquisamos a história, as campanhas dependendo dos países, cada uma com suas particularidades e respeitando a cultura, valores e estratégias para atingir o público. Ajuda bastante a assimilar o conteúdo e tudo com embasamento teórico. Ou seja, era preciso buscar em Artigos e livros teorias que explicassem aquelas nossas descobertas. Teoria x prática. No final, cada professor avaliava como cada equipe se saiu em relação a sua disciplina. Ou seja, sem a pesquisa o resultado do aprendizado não seria o mesmo. As aulas (ou o ensino) não seriam suficientes.

O grande desafio é justamente relacionar as áreas, entender como elas fazem sentido. Parece confuso no começo, mas percebe-se com a pesquisa que precisamos ter uma ideia das partes e do todo. Como costumam dizer, "enxergar não só a árvore, mas também a floresta". É por isso que nas Escolas existe muita dificuldade por parte do aluno em relacionar as disciplinas e os próprios professores também não buscam se comunicar para encontrar formas de trazer mais sentido para os conteúdos estudados pelos alunos. Tanta coisa estudamos, aprendemos e nunca utilizamos na nossa vida profissional. Acredito que todos já passaram por isso.

Já falando das Universidades braseiras, sei que infelizmente esses pilares não existem. Trabalha-se praticamente apenas o ensino e mesmo assim em muitos casos deixa a desejar. O aluno termina o Ensino Médio e chega ao Ensino Superior com inúmeros vícios. Não sabe pesquisar e durante a graduação não aprende e se aprende prefere optar pelo plágio. A pesquisa parece ser odiada por boa parte dos alunos e o resultado são trabalhos acadêmicos, o TCC nem quero comentar, da pior qualidade possível. Geralmente as festas de Formatura são lindas, mas o resultado uma vergonha nacional. Por isso esse país tem tantos portadores de Diplomas e as empresas com sérias dificuldades para contratar pessoas competentes.

Já com esses dois primeiros pilares trabalhados da pior forma possível a extensão acaba sendo impraticável. Os três são importantes, mas se já chegamos no fundo do poço, agora estamos caminhando para um poço sem fundo.

Em relação ao PET mencionado no vídeo eu não conhecia, mas estou pesquisando. Como alternativa para tentar resolver esse problema só depois de avaliar posso comentar algo.
avatar
Admin
Mensagens : 22
Data de inscrição : 31/10/2017
Idade : 43
Localização : vitória de santo antão - Pernambuco
Ver perfil do usuáriohttp://tieduc.forumeiros.com

Re: BOAS VINDAS

em Sex Set 28, 2018 12:21 am
Muito bom pessoal! Fiquei muito feliz com as colocações de vocês no fórum, parabéns!. De fato vocês abordam questões importantes nas falas de vocês em relação a associação entre ensino e pesquisa no ensino superior, nesse sentido questiono se o conhecimento produzido pela academia não é aceito como forma de melhoria social qual o papel da academia então? que estímulos nossos pesquisadores poderão ter se não há uma real aplicabilidade da produção do conhecimento? Para que a formação técnica então a nível superior? Vamos convidar nossos colegas para discutir.
José
Mensagens : 3
Data de inscrição : 15/09/2018
Localização : Caruaru/Pernambuco
Ver perfil do usuário

Re: BOAS VINDAS

em Sex Set 28, 2018 10:26 pm
Os projetos interdisciplinares podem e devem contribuir positivamente na  indissociabilidade  do ensino, pesquisa e extensão, pois entende-se que sua falta tem proporcionado um enfraquecimento intelectual  no meio acadêmico, para tanto, muitos discentes por não terem acesso aos três eixos fundamentais  na formação acadêmica  infelizmente não saem da graduação aptos e desenvolvendo a busca permanente pelo ensino, pesquisa e extensão, infelizmente digo, as faculdades e universidades não estão ainda adaptadas para a execução dos três eixos. Como o vídeo retratou as universidade na sua maioria não estão investindo nos eixos base de uma formação com qualidade. Os docentes também necessitam ser estimulados a instigarem o processo dentro da academia.
Como discente de graduação tive a oportunidade de participar dos três eixos, o fato me proporcionou um ambiente produtivo, porém como muitos estudantes que trabalham diariamente e estudam apenas a noite e finais de semana, percebi a dureza da minha realidade em manter-me na pesquisa, pois fui estudante do projeto Iniciação Cientifica da Faculdade durante um ano (01), mas infelizmente não tive o privilégio de aprofundar e dá continuidade, o fator sobrevivência humana me impossibilitou continuar.
Portanto, quando as ferramentas estão disponíveis e os meios favorecem vejo que não podemos deixar passar a oportunidade, porém com consciência de que num país de poucos direitos e muitos retrocessos nos resta resistir cotidianamente.
Portanto, o vídeo nos permitiu conhecer o PET (programa de educação tutorial), onde até então nunca tinha ouvido falar, no entanto busquei mais informação e pude perceber a riqueza que há no programa e como ainda é uma minoria de participantes. Fiquei no desejo de juntos criarmos um ambiente agradável de pessoas que estudam e aprofundam sobre os três eixos: ensino, pesquisa e extensão, tendo em vista articular as riquezas do universo interdisciplinar no mundo acadêmico.
Amigos vamos lá arregaçar as mangas e lutar por direitos educacionais para todos!!!
avatar
Admin
Mensagens : 22
Data de inscrição : 31/10/2017
Idade : 43
Localização : vitória de santo antão - Pernambuco
Ver perfil do usuáriohttp://tieduc.forumeiros.com

Re: BOAS VINDAS

em Sex Set 28, 2018 11:11 pm
Muito bom Eliene. Sera que nossos colegas também partilham das nossas considerações?
Mensagens : 2
Data de inscrição : 17/09/2018
Ver perfil do usuário

José: O conhecimento produzido pela academia não é aceito como forma de melhoria social qual o papel da academia então?

em Qua Out 03, 2018 10:17 am
Como a gente tem percebido cada vez mais, a sociedade contemporânea vem sofrendo transformações muito rapidamente. As mudanças ocorrem diariamente e em vários setores. As mudanças são sociais, mas também econômicas. Ou seja, precisamos ter um pensamento holístico das coisas para tentar entender o papel da Academia para a melhoria social, de que forma ela pode contribuir e se vem alcançando algo de positivo. Avançamos rapidamente no que se refere as tecnologias e como já mencionei vem junto as mudanças, de forma mais negativa no nosso país, econômicas. Tudo isso dificulta ainda mais nosso entendimento. Precisamos entender qual a função do Ensino Superior a partir da relação de Reitores, estudantes, professores dentro das IES. Aí que está a dúvida: a formação desses estudantes deve se concentrar no mercado de trabalho ou na pesquisa e extensão? Sinceramente, não vejo com bons olhos o que vem sendo produzido na Universidade para contribuir com a melhoria social. Enxergo a maioria das Universidades e Faculdades no Brasil simplesmente como máquinas de vender Diplomas. Além de não ter um papel social significativo as Instituições de Ensino Superior não preparam as pessoas para a cidadania como deveriaM. Você é muito mal preparado para enfrentar o mercado de trabalho. “Ranking de faculdades traz má notícia (de novo) para a USP e para o Brasil”. Matéria recente que é mais um retrato do caminho que estamos trilhando. Se essas Instituições não estão conseguindo o mínimo que é preparar essas pessoas para enfrentar e se destacar no mercado de trabalho tecnicamente, imagina fazer a diferença socialmente falando. E o pior de tudo, se não é bem preparado tecnicamente, também diminui o papel social do profissional. Vamos imaginar, por exemplo, um médico cuja formação deixou a desejar. O que dizer dos riscos que os pacientes desse “profissional” terão ao entregar a vida em busca de uma cura ou tratamento? Particularmente, vejo que se tornar um bom profissional tecnicamente falando também contribui no que se refere ao papel social. Mas lamentavelmente nem a maioria das Instituições e nem a maioria dos estudantes têm se preocupado com isso. (DEPOIS CONTRIBUO MAIS!)
Mensagens : 3
Data de inscrição : 15/09/2018
Localização : Caruaru/Pernambuco
Ver perfil do usuário

Re: BOAS VINDAS

em Qui Nov 01, 2018 8:09 pm
Infelizmente os avanços tecnológicos vem junto a aceleração de informações e não de conhecimento e formação, pois bem, os últimos anos temos percebido o crescimento sobre o aspecto da informatização, porém não se percebe avanços na forma de interagir com inteligência , digo refletir as informações e buscar através da pesquisa os fatos em sua essência, isso na relação com a notícia publicada.
Emmanuel realmente as faculdades vem demonstrando para sociedade que estão sendo meramente fabricas de diplomas, pois não observamos mudanças sociais, inclusive vemos o contrário, pessoas que dizem profissionais meramente funcionais.
Mensagens : 1
Data de inscrição : 02/11/2018
Ver perfil do usuário

Re: BOAS VINDAS

em Sab Nov 03, 2018 1:32 pm
            Também vejo a indissociabilidade entre ensino-pesquisa-extensão como um ponto de extrema importância para o ensino, pois possibilita novas formas pedagógicas de reprodução, produção e socialização de conhecimentos, efetivando a interdisciplinaridade. Porém, como visto no vídeo acima, infelizmente não vem sendo colocada em prática no sistema universitário brasileiro. Em tese, a relação entre ensino+pesquisa+ extensão, quando bem articulada, deveria conduzir a mudanças significativas nos processos de aprendizagem e ensino, colaborar efetivamente para a formação profissional de discentes e docentes e fortalecer os atos de aprender, de ensinar e de formar profissionais e cidadãos. Porém, na prática se tem observado que quanto maior a qualificação do docente, maior é a tendência pra que ele se distancie do ensino, principalmente o de graduação, e da extensão para se dedicar à pesquisa e à orientação na pós-graduação. Visto por outro lado, os projetos de extensão em geral deveriam cada vez mais permanecer associados aos conteúdos das disciplinas e das atividades de ensino de graduação e de pós-graduação e ter maior participação de docentes e discentes. Portanto,a pesquisa, por sua vez, também se apresenta, regra geral, fragmentada, desarticulada e desvinculada do conjunto do ensino da graduação, da pós-graduação e da extensão. Por esses e outros motivos percebemos cada vez mais dificuldades na introdução da indissociabilidade na prática de ensino.
Mensagens : 1
Data de inscrição : 25/10/2018
Ver perfil do usuário

Re: BOAS VINDAS

em Sab Nov 03, 2018 2:17 pm
Boa noite, no tocante a propostas inovadoras na educação do ensino superior temos ao nosso alcance uma arma mais que especial podemos dizer essencial que é a tecnologia da qual podemos a cada dia nos apropriarmos para fazer uso dela de diversas maneiras. Somos uma geração que estamos nos adaptando a todo essas formas de produção cibernética; produção que se desenvolve a uma velocidade quase que superior ao nosso alcance, fazendo-nos parecer colegiais da qual estamos engatinhando. A cada dia aparece algo novo e nós precisamos estar atentos e buscar esse auxílio e essa nova forma de se fazer educação e pesquisa. Torna-se um grande desafio tentar entrar nesse mundo virtual que mesmo estando presente parece-nos distante.
Mensagens : 1
Data de inscrição : 29/10/2018
Ver perfil do usuário

Re: BOAS VINDAS

em Sab Nov 03, 2018 3:01 pm
Boa tarde!!!!
A metodologia inovadora tem a intenção de proporcionar um outro nível de desenvolvimento cognitivo, tornando os nossos estudantes capazes de detectar os nossos conteúdos, de quaisquer disciplinas, em todo o tipo de material, ou seja, queremos que eles reconheçam as ligações que existem entre os diferentes conteúdos e disciplinas, a partir de uma compreensão ampliada dos contextos. O que percebemos é que isso se torna uma lição de casa permanente, algo que, aparentemente, tinha uma função de mero entretenimento, passa a ser um objeto de estudo e análise.
avatar
Admin
Mensagens : 22
Data de inscrição : 31/10/2017
Idade : 43
Localização : vitória de santo antão - Pernambuco
Ver perfil do usuáriohttp://tieduc.forumeiros.com

Re: BOAS VINDAS

em Dom Nov 04, 2018 7:57 pm
Muito bom Paulo, Ieda, Layse e Eliene, a discussão trazida por você é bastante pertinente. essa preocupação com a formação profissional é algo que merece ser bastante refletido. Que bom que pensando na docência do ensino superior estamos nos propondo a refletir sobre esta questão. Parabéns a turma pela reflexão.
José
Mensagens : 1
Data de inscrição : 09/11/2018
Ver perfil do usuário

Relato de Experiência

em Sex Nov 09, 2018 4:10 pm
Diante da atividade proposta:

1-Você acredita que os projetos interdisciplinares no ensino superior podem se tornar uma saída para a indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão? De que forma? Comente com seus colegas.

olá, caros colegas, partindo da proposta do fórum acredito ser relevante falar um pouco da experiência que estou vivenciando no mestrado "Educação, Culturas e Identidades" esse vinculado a Universidade Federal Rural de Pernambuco e Fundação Joaquim Nabuco. Dentre as vivências percebo claramente essa indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão (realidade que não se faz presente na maioria dos cursos de graduações no Brasil), partindo da própria proposta do curso e vivências na prática dos componentes como a visitar ao Rio Capibaribe que corta a cidade do Recife ao inicio de um componente com a finalidade de refletimos sobre nossos sujeitos da pesquisa, metodologia e relevância social, assim como a visita ao Vale do Catimbau em Buíque, temos acesso a grupos de estudos de abordagens diversificadas, participo da Escola de Conselho de Pernambuco e do LAHIN (Laboratório de História das Infâncias do Nordeste)  que estar inserido na extensão da Universidade e a própria prática do estagio docência que e desenvolvida nas aulas dos cursos da Universidade Federal Rural de Pernambuco.
Já que estamos chegando ao fim de um ciclo podemos começar a pensar no próximo, e que tal um MESTRADO??? super indico esse programa, vou deixar algumas informações  aqui no forum assim como imagens das vivencias do programa e total disposição aos meus colegas!!


Vamos????

Este Programa associado nasce a partir da construção de interfaces interinstitucionais e acadêmicas desenvolvidas e amadurecidas ao longo dos últimos anos entre a FUNDAJ e a UFRPE. O curso visa formar docentes e pesquisadores em um contexto complexo e dinâmico que marca os atuais tempos da sociedade do conhecimento. Nestes termos objetiva a partir de um processo inovador promover a produção do conhecimento que aponte para respostas aos problemas emergentes e estruturadores da sociedade atual, favorecendo a compreensão de forma mais apropriada dos processos de formulação e gestão das Políticas Públicas culturais e educacionais, bem como a análise dos movimentos sociais e práticas educacionais e dos processos educativos em torno da infância e da juventude contribuindo para o aprimoramento da realização dessas políticas pelos órgãos governamentais. O Programa, ao eleger como eixo temático articulador a inter-relação entre Educação, Culturas e Identidades, remete a um processo de crítica epistemológica e de construção de uma práxis formativa inovadora de pesquisadores (as). Neste sentido, oferecerá uma formação plural, numa perspectiva interdisciplinar, para que, ao final do percurso, os (as) pós-graduandos (as) sejam capazes de compreender e desenvolver processos educativos e culturais complexos, diante dos desafios da contemporaneidade e responder às necessidades formativas em seus aspectos políticos, cognitivos, afetivos e culturais. Para alcançar os objetivos interdisciplinares propostos, as atividades acadêmicas do PPGECI serão constituídas de disciplinas e atividades relacionadas ao desenvolvimento e à formação de pesquisadores e de docentes-pesquisadores no campo da Educação, compreendendo-a enquanto um fenômeno interdisciplinar.

Objetivos

• Formar docentes e pesquisadores em um contexto complexo e dinâmico que marca os atuais tempos da sociedade do conhecimento, buscando analisar e compreender a inter-relação existente entre educação, culturas e identidades, entendendo a interdisciplinaridade como forma de trabalho cooperativo e integrado de produção do conhecimento em diferentes áreas com objetivo de responder à complexidade das demandas da sociedade atual.

• Analisar as tensões subjacentes à história da formação sociocultural brasileira e as conexões existentes entre os processos de construção de identidades na educação, desenvolvidas em espaços escolares, em movimentos sociais, em contextos rurais e urbanos;

• Analisar o desenvolvimento humano, os processos cognitivos, a aprendizagem e as políticas de atendimento à infância e à juventude em diferentes momentos histórico-culturais;

• Analisar programas educativos e culturais, compreendidos numa perspectiva de transformação social, econômica e geopolítica, com ênfase na formação humana e cidadã.




PROCESSOS EDUCATIVOS, CULTURAS E DIVERSIDADES
Linha de Pesquisa 1 - Movimentos Sociais, Práticas educativo-culturais e identidades

Esta linha de pesquisa estuda, numa perspectiva teórico-metodológica interdisciplinar, os processos educativos e culturais a partir da nova ordem social global, dos movimentos sociais vinculados às identidades étnico-raciais, de gênero, das sexualidades e das juventudes. A linha de pesquisa tem como enfoque principal estudar a educação e os processos de formação da diversidade cultural humana na contemporaneidade. Pretende investigar as tensões e conflitos subjacentes à história da formação sociocultural brasileira, mais particularmente, do nordeste do Brasil. Analisa as conexões existentes entre os processos de construção de identidades na educação escolarizada, na educação desenvolvida pelos movimentos sociais, em espaços rurais e urbanos, considerando as relações de gênero e as relações étnico-raciais.



_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Linha de Pesquisa 2 - Desenvolvimento e Processos Educacionais e Culturais da infância e da Juventude

Esta linha estuda a complexidade dos processos cognitivos, afetivos, tecnológicos, comunicacionais e culturais, desenvolvidos nas sociedades em rede, relativos ao esenvolvimento humano, contemplando as aprendizagens em contexto formal e informal, em situações individuais e coletivas, incluindo a construção social do conceito de infância e da juventude. A linha de pesquisa tem como foco principal estudos sobre infância e juventude em diferentes momentos histórico-culturais, as narrativas, a história e as políticas de atendimento à infância e à juventude. Pretende estudar cognição, desenvolvimento e aprendizagem na infância e juventude e as relações entre linguagem, processos midiáticos e de construção de identidades.


_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Linha de Pesquisa 3 - Políticas, Programas e Gestão de Processos Educacionais e Culturais

Esta linha estuda as políticas e programas educacionais e culturais, seus princípios básicos, seus elementos constitutivos multidimensionais, suas conexões e mediações com os processos de reestruturação política em curso nas últimas décadas. A linha tem como foco as reformas e programas nacionais desenvolvidos no âmbito federal, estadual e municipal, compreendidas numa perspectiva mais ampla de transformações econômicas, políticas, culturais e geográficas que caracterizam o mundo contemporâneo com ênfase na gestão e práticas educativas e culturais, seus reflexos na formação humana e cidadã na região nordeste.













Conteúdo patrocinado

Re: BOAS VINDAS

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum